Decide publicar os meus trabalhos da faculdade, e como todos os outros trabalhos de uma aluna, deve ter bastante erros, nao se hesitem - corigem-me caso acham que é necessário, concordo que a gente aprende a vida toda. o meu curso é gestao conservaçao da natureza

Thursday, March 09, 2006

parede celular

UNIVERSIDADE DOS AÇORES

Departamento de Ciências Agrárias



Tema: Parede Celular
Cadeira: Biologia




Docente
Prof.ª Doutora
Rosalina Gabriel
Discente
Glória Sofia Varela Monteiro



Açores, Abril de 2005



Índice

2
Glossário................................................................. 3
Introdução............................................................... 4
1. Parede Celular......................................................... 5
2. Ontogenia................................................................ 6
3. Composição química..................................................... 6
4. composicao estrutural......................................................7
5. Organização da parede celular............................................................ 7
6. Pontuações........................................................... 7

7. Conclusão................................................................ 8
8. Referencias Bibliográficas................................................9



Glossário

PAREDE CELULAR invólucro celular com uma certa rigidez exteriormente as membranas plasmática da células das plantas, das bactérias e dos fungos;

PAREDE CELULAR PRIMÁRIA camada externa da parede celular depositada durante o crescimento da célula;

PAREDE CELULAR SECUNDÁRIA camada externa da parede celular depositada em alguns tipos de células sob a parede celular primaria após de ter cessado o alongamento celular;

CÉLULA, unidade básica de seres vivos, porção individualizada de protoplasma que contêm uma parte diferenciada chamada núcleo envolvida ou não por uma camada externa ou membrana;

CELULOSE hidrato de carbono que constitui o arcabouco dos tecidos vegetais;

CUTINIZAÇÃO da se na célula epiderme apenas nas células do exterior;

FRAGMOPLASTO forma de uma linha descontinua formada por vesículas golgianas acumuladas na zona de divisão de duas células;

FIBRAS zonas da parede celular primária com espessamento em anel;

HEMICELULARES são polissácarideos altamente ramificado contendo um esqueleto base de cerca de 50 unidades de açúcar do mesmo tipo ligados entre si;

LIGAÇÃES GLIGOSÍDICA designa-se por ligação de milhares glicose, ligados entre si;

LENHIFICAÇÃO substancia dura, resistente, agindo como uma cola ou cimento;

MICROFIBRILAS celuloses longas;

PLASMODESMO são canais citoplasmáticos muitos finos que permite a comunicação entre as células adjacente de um tecido vegetal;

PECTINAS são grupos não idênticos de polissacarideos ramificado e hidratados;

PONTUAÇÕES é a maneira das células se comunicarem;

SUBERIFICAÇÃO (tecido dermico) dá-se poroposicao de suberina, é no suber que encontra a impermiabilizacão, (casca, caule, raízes);

Nota: alguns conceitos são tirados dos apontamentos na aula e dicionários



Introdução


Este trabalho insere-se na cadeira de “Biologia” e visa abordar apenas umas das componentes típicos da célula vegetal - parede celular.
A célula é a unidade principal da matéria viva. Constitui a unidade estrutural básica de todos os seres vivos e é capaz de assegurar as funções básicas da vida; por isso, é considerada a unidade fisiológica básica.
Segundo (AZEVEDO et. al. 1999, p. 1 ) a célula é uma unidade fundamental de todos os seres vivos. Por outras palavras “a célula é organizada por um conjunto de moléculas que se desenvolvem em fenómenos vitais, isto é, caracteriza a vida: cresce, multiplica, adapta-se ao meio onde esta inserido.

Apesar de haver várias diferenças entre a célula animal e a célula vegetal, a diferença mais significativa entre os dois grupos de seres vivos reside no facto das plantas possuírem uma parede celular rígida, que caracteriza as células peculiares e de fixarem o dióxido de carbono atmosférico durante a superfície. ( cit. AZEVEDO et. al. 1994).

Assim, um dos objectivos na elaboração desse trabalho visa procurar saber como funciona, como a célula esta organizada, qual é a sua composição química e estrutural, a sua ontogenia da parede celular e as pontuações .





1. Parede Celular

O porquê da designação « parede celular» ?


Quando aparece uma célula o primeiro processo que se verifica é a formação de uma membrana que pode isolar proteína e ácidos nucleicos do exterior. Neste processo, forma-se uma membrana plasmática (estrutura que faz limite externo da célula) que, por ser frágil susceptível de se romper facilmente, desenvolve um mecanismo para se fortalecer e se proteger. Para isso, vários organismos revestem-se da membrana plasmática, designado por parede celular (cit. AZEVEDO, FONSECA & FERREIRA,1999).

Segundo AZEVEDO et. al. (1999) a parede celular é um estrutura indispensável para o desenvolvimento da planta, sendo que esta estrutura difere uma planta das outras. Refere que há dois tipos de parede celular: parede celular primária e parede celular secundária;

· Parede celular primária são células jovens, e caracterizam-se por serem delgadas e plásticas, podendo-se moldar para acompanhar o desenvolvimento das células com o seu crescimento.

· Parede celular secundária são células mais maduras. Não existem em todas as células, apenas nas que necessitam de resistência e impermeabilização efectuada pela lenhina das células da epiderme e suber que só se encontra nas plantas terrestres. Com muita quantidade desta parede a célula morre, ficando mais dura, efectuando
normalmente a sua função de suporte e impermeabilização. Pode ocupar 95% da célula
e o resto não sobrevive (cit. ANTUNES, 1983), como exemplo veja a fig. 1








Fig 1-esquema da parede celular

De acordo com a B. MEYER, D.A.NDERSON, Q.BOHNING & B. FRATEANNE (P 42) os constituintes da parede celular são:

· Cutina que apresenta uma mistura de materiais afins das ceras, presentes na fase externa da parede celular secundária e nas paredes celulares das epidermes dos órgãos (raízes, folhas, caules) . É o principal constituinte da cutícula. As paredes celulares cutinizadas são relativamente impermeáveis à água, e a presença da cutina nas paredes externas das células epidérmicas reduz-lhes grandemente a evaporação da água.

· Suberina é um constituinte importante das paredes celulares da cortiça e praticamente todos os caules perenes e raízes ficam revestidos de uma camada de células de cortiça.

Apesar de tudo, estas constituintes ainda não foram caracterizada claramente para os químicos, segundo se refere os B. MEYER, D.A.NDERSON, Q.BOHNING & B. FRATEANNE (P 42).


2. Ontogenia

A produção de parede celular inicia-se durante o processo da divisão da célula (telófase, última fase que ocorre na divisão mitótica) com a formação de placa celular (placa equatorial da célula mãe em divisão) associada com a fragmoplasto que é constituído por microtúbulos pequenos, (originados dos dictiossomas e do retículo endosmatico) podendo aparecer no início, no centro do plano equatorial do fuso.

Numa parte da formação da parede celular pode ser observada a existência de interrupções que forma poros, designando-se por plasmodesmo descoberto por TANGLE em 1882 (cit. STRASBURGER, 1882 e ANTUNES,1983).

Em muitas células alongadas ou redondo, as microfilas de celulose da parede celular dispõe-se perpendicular no eixo maior da célula, impondo-se, por isso, um alongamento direccionado. Nas células em fase de alongamento observam-se numerosos microtúbulos profundamente associada ao plasmalema e com orientação perpendicular ao eixo do alongamento. Os feixes de microtúbulo formam-se uma cintura envolvente da célula, que em poucos casos observa-se as ligações entre o plasmalema e os microtúbulos. Os microtúbulos intervém na orientação da disposição da celulose. (AZEVEDO, 1994).


3. Composição química

Segundo referem PAIS; BARROSO& AZEVEDO (1994), a parede celular é formada por um conjunto de polissácarideos (glícidos) e por um pequeno número de moléculas de grandes dimensões encontrada em composto orgânico do tipo das proteínas e ácidos nucleicos da natureza diferente .
A celulose é um composto principal da parede celular, é um polissacarideos de formula empírica (C6H10OO5), cujas as moléculas são cadeias lineares de glicose.

A parede celular primário é composta por celulose, hemiceluloses, proteínas, lipídos e compostos pécticos deposita-se de ambos lados da lâmina. A parede celular secundário é composta por celulose, lenhina, feixes de microfibrilas (celulose longas).


4. Composição estrutural

Estruturalmente, a parede celular é formada por um conjunto de fibrilas celulose e algumas camadas distintas: camada mais externa que delimita o lúmem celular, designada pela lamela terciária, camada intermediária formada pela parede secundária, que pode ser formada por lamelas: lamela transaccional, lamela media, parede celular primaria.
Cada uma das fibrilas que compõe a trama de celulose é formada pela agregação de mais ou menos de 250 microfibrilas. (exemplo: na figura 2)

Lamela terciaria * pc 1ria

**Pc 2ria


Lamela media

Lamela transicional




Fig 2, diagrama das lamelas



5. Organização da parede celular

A organização da parede celular clarifica dois sólidos princípios da construção. A resistência mecânica da fibra de algodão, composta por celulose pura, adquirida pelo agrupamento da molécula em fibrilas cada vez maiores; a lenhina, uma molécula complexa não fibrosa, não relacionada com açúcares, mas que preenche espaço entre fibrilas de celulose (cit. SWANSON, 1911).




6. Pontuações

Há vários tipos de pontuações, as mais comuns são: pontuações simples interrupção da parede celular primária com a formação de uma cavidade de pontuação; parede areolada interrupção da parede secundária, quando as paredes estão delimitadas por uma câmara de pontuação.




· * parede celular primária
· ** parede celular secundária

7. Conclusão

Assim como todas as células e os seus componentes exercem as suas funções, percebi com este trabalho, que uma das funções dos componentes é protecção e suporte da célula, o garante e a permanência da forma, e geralmente permeavel a troca deioes entre o exterior e o interior da celula, sendo assim, a parede celular é muito importante para a célula, digamos que a forma e a composição destas estão relacionadas com a função da célula no tecido. Percebi também que os seres vivos constituídos por uma só célula têm a capacidade de realizar por si só todas as actividades próprias da vida, tais como a nutrição, a reprodução e as relações com o meio externo, assim como fazem os seres vivos mais evoluídos. De acordo com a minha pesquisa fiquei a saber que nem todas plantas as tem a mesma forma de parede celular como exemplo as as parede celulares das algas são deferentes das de bacterias, dos fungos, das algas, etc... mas a diferença não esta na sua composição química mas sim na composição estrutural.




8. Referencias Bibliográficas


ANTUNES, M. S. P. T. (1983) Biologia celular. Universidade nova Lisboa – Lisboa.

AZEVEDO, C. et. al. (1999). Biologia celular e molecular . LIDEL. Edições técnicas Lisboa.

AZEVEDO, C. MARIA CARMO FONSECA,& J. F DAVID FERREIRA (1999). Biologia celular e molecular. LIDEL . Edições técnicas Lisboa.

AZEVEDO, C. et. al. (1999). Biologia celular e molecular. LIDEL. Edições técnicas Lisboa.

AZEVEDO, C. et. al. (1994). Biologia celular. LIDEL. Edições técnicas Lisboa.


PAIS, M. S.; BARROSO, J. M.& AZEVEDO, C. (1994). Biologia Celular. Lisboa: Universidade nova de Lisboa. (p.p. 477-495). LIDEL. Edições técnicas Lisboa
SWANSON, C. P. (1911). A célula.. Trad. SANTOS. H. (1972). São Paulo: Edgard Blucher, Ed. Da universidade de São Paulo.

B. MEYER, D.A.NDERSON, Q.BOHNING & B. FRATEANNE (P 42) introducão a fisiologia vegetal, fundacão CALOUSTE GULBENKIAN.



Sites consultados

ANONIMOS http://atlas verg.ib.usp.br/indice/pa2hml
ANOMIMOS http://wwwherbario.com.br/cie/universi/teoria/1027pare.htm, 28,02.05
ANOMIMOS http://www.herbario.com.br/cie/universi/teoria/1027/pare.htm, 28.02.05
ANOMIMOS http://www.herbario.com.br/cie/universi/teoria/1027/pare.htm, 28.02.05
ANOMIMOS http://wwwherbario.com.br/cie/universi/teoria/1027pare.htm, 28,02.05
SECCO, R. (S/d). Estagio Académico http://www.unisanta.br/botanica/celulavegetal.asp
.

1 Comments:

Blogger mayara cristina said...

perfect and thanks

5:02 PM

 

Post a Comment

Links to this post:

Create a Link

<< Home